Institucional

A RÁDIO CULTURA SERPIN nasceu em 18 de julho de 1988, com a concessão de funcionamento aprovada pelo Ministério do Estado das Comunicações, Antonio Carlos Magalhães, através do Edital n° 220, publicado no Diário Oficial da União, tornando-se a caçula do Norte Pioneiro.

O Grupo Serpin lutou por essa conquista através do senhor Irineu dos Santos Lopes, o Irineu Serpin, fundador da emissora. Irineu, um cidadão comum que sonhava em ser um empresário e ter algo diferente, uma rádio, que através de suas ondas transmitisse alegria para o povo. Muitos empresários duvidaram, muitos políticos tentaram em vão. O grupo Serpin foi forte e persistente chegando ao seu objetivo maior.

Após a concessão a luta continuava, os primeiros passos foram dados, mas a dificuldade ainda era grande para querer os equipamentos. O transmissor e a antena foram adquiridos através do DENTEL (Órgão Fiscalizador das Emissoras) junto da antiga Rádio Marajoara, de Ibiporã.

Depois disso era preciso a liberação do DENTEL para o prefixo da rádio que foi concedido em 18 de julho de 1998. Aí nasceu o Prefixo ZYJ 361 AM, já o Cristal foi instalado no 1560KHZ, direcionado na frequência da emissora.

Assim a Rádio Cultura Serpin já não era mais só um sonho, uma realidade no cantinho do seu rádio. A documentação esta em ordem, mas o primordial era o dinheiro. Irineu não desistiu, mesmo sem a verba para coloca-la no ar, e no dia 10 de maio de 1990 fez uma reunião com seus irmãos Paulo, Roberto, Mauro, João Marcos e Luiz Carlos, para falar sobre a colocação dos radiais no chão, isso significa 16 km de cobre para a propagação da amplitude. Na ocasião, Luiz Carlos e Irineu cavaram com suas próprias mãos onde seria instalada a torre chamada radial.

A Rádio Cultura Serpin começou a caminhar e o segundo passo era providenciar os equipamentos compulsórios que seria a mesa, gravador de censura, processador de áudio, processador de voz, microfones profissionais. Outro item importante, mesmo com recursos curtos, era o estúdio. A DENTEL exigia Estúdio Acústico e outros equipamentos de alto custo.

A população de Ribeirão do Pinhal que até então desconhecia o provedor da rádio, Irineu Serpin, fez sua primeira aparição ao público em um palanque político no comício do candidato Dema. Nesta ocasião anunciou a mais de 4 mil pessoas que a rádio não era mais um sonho e sim realidade.

Mas faltava o principal, através do órgão federal DENTEL, era preciso pagar uma taxa outorgada a emissora, no valor nada mais nada menos que 70 milhões de cruzeiros, o que hoje significa 200 mil reais.

Nessa incansável luta um anjo surgiu nessa história, o Deputado Santinho Furtado, um dos mais conceituados políticos, forte em toda região. Em viagem com o Irineu para Brasília e Curitiba. Começava uma difícil peregrinação para ajudar a diminuir esse valor. Graças a dedicação do deputado e do Irineu, eles chegaram felizes em Ribeirão do Pinhal com a autorização e taxa paga, era mais uma etapa vencida.

O 4° passo era ter a rádio no ar em caráter experimental. Às 08 horas da manhã do dia 1° de março de 1990, dia que vai ficar na lembrança, a Rádio Cultura Serpin entrou no ar em caráter experimental com a 1° vinheta "Eu sou o Rádio"

Dados esses passos a DENTEL exigiu que a Rádio entrasse no ar em caráter definitivo, com sua programação elaborada.

Foi assim que no dia 21 de abril de 1990, foi fundada a Rádio Cultura Serpin como emissora definitiva e concretizou-se o sonho.